top of page
  • Karla Farias

A escolha da profissão


Quando crianças todos nós ouvimos a pergunta: “O que você vai ser quando crescer?” E a resposta a essa pergunta varia de tempos em tempos, de acordo com as pessoas que convivem conosco. Somos influenciados por pais, amigos, professores e tantas outras pessoas que admiramos. Um dia sonhamos em ser astronautas, artistas, médicos, professores, advogados, e até super-heróis. Mas um dia crescemos e chega a hora em que temos que de fato decidir o que queremos ser.

O momento da escolha profissional vem junto com uma série de mudanças na vida do indivíduo. A transição da infância para a vida adulta, com todas as exigências que jamais precisamos nos preocupar. As mudanças hormonais, as novas interações sociais e a pressão da própria família e amigos são apenas alguns dos ingredientes que acompanham esse ritual de passagem para a nova realidade. Na escola os colegas vão definindo suas escolhas e a chegada do ENEM cai como uma bomba na cabeça daqueles que ainda não conseguiram descobrir o que querem fazer para o resto da vida.

E é neste momento que muitos jovens apresentam sintomas de ansiedade e depressão. O apoio familiar poderá ser o diferencial para o enfrentamento saudável dessa fase da vida. É compreensível que os pais se preocupem com o futuro dos filhos e queiram que estes escolham profissões que possam garantir a estabilidade financeira e social. O problema é quando estes mesmos pais ficam tão ansiosos que pressionam os filhos para escolher logo ou então querem decidir por eles o seu futuro.

A escolha da carreira que se quer seguir é uma decisão que tem que ser feita pelo próprio indivíduo, pois caberá a ele conviver com sua profissão e tudo que lhe diz respeito. E para isso é necessário conhecer não só o mercado e as profissões, mas também conhecer a si mesmo. Cada profissão tem características que serão compatíveis ou incompatíveis com o indivíduo, de acordo com os traços de sua personalidade. O que você gosta de fazer? Ar livre ou ambiente fechado? Isolado ou em grupo? Como você gosta de se vestir no dia-a-dia? Quais são seus pontos fortes e seus pontos fracos? Como você lida com pressões? Estas são apenas algumas das perguntas que o ajudarão a compreender o que se quer e também o que não quer fazer para a vida toda.

Uma forma de passar por esse desafio sem perder o equilíbrio emocional é através de um processo de orientação vocacional. Com a ajuda de um psicólogo o indivíduo é capaz de conhecer a si mesmo e descobrir quais profissões são compatíveis com sua personalidade e seus anseios. A orientação vocacional não é um oráculo que lhe dirá qual profissão você deverá escolher, e nem um teste de revista que você responde e tem o resultado na hora. É um processo longo que envolve a investigação das aptidões do indivíduo, bem como das áreas do saber onde este terá maior probabilidade de obter sucesso profissional com qualidade de vida. Ao final da investigação o orientando conhecerá seus próprios limites e forças, e saberá quais são as carreiras mais promissoras para ele.

18 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page